ENTREVISTA - Fábio Camata Candello

ENTREVISTA - Fábio Camata Candello

RAIO-X
Fábio Camata Candello
Advogado, CEO da CBD Vida
Nascimento: 19/01/1975
Cidade de nascimento: Campinas
www.cbdvida.com.br

“Cannabis medicinal: o preconceito só existe devido a desinformação”

Em 2014, a Justiça brasileira autorizou pela primeira vez uma família a importar óleo rico em cannabidiol para o tratamento da pequena Anny Fisher, à época com cinco anos de idade, portadora da síndrome CDKL5 (que também determina um quadro de epilepsia refratária). A partir dessa jurisprudência os pedidos no Brasil aumentaram drasticamente, fazendo com que empresas dos EUA e Canadá a direcionar olhares para o potencial do mercado brasileiro.

Assim nasceu a CBD Vida, empresa binacional, com sedes administrativas e operacionais em Campinas (São Paulo, Brasil) e Ottawa (Ontário, Canadá), que ganhou notoriedade na imprensa regional após ser citada como a primeira empresa com sede administrativa no Brasil a comercializar o CBD, óleo extraído da cannabis.

Em entrevista à Folha de Valinhos, o CEO da empresa, o advogado Fábio Camata Candello, fala sobre expectativas do mercado e os benefícios do uso do produto.

No Brasil, o preconceito quanto ao uso do extrato da maconha para fins medicinais ainda é grande. Como este novo mercado pretende enfrentar esse desafio?
Com informação de qualidade. Costumo dizer que o preconceito só existe devido a desinformação. Quem começa a entender que não estamos falando de drogas, mas sim de um produto que pode auxiliar de forma efetiva no tratamento de diversas doenças, deixa o preconceito de lado e passa a apoiar a causa.

E quais são essas doenças?
A lista é imensa: dor crônica, Câncer, Doença de Crohn, Esclerose Múltipla, Náusea, Glaucoma, Esclerose Lateral Amiotrófica, Convulsões, Alzheimer, Epilepsia, Epilepsia, Mal de Parkinson... Porém, basicamente hoje concentramos nossas atividades na utilização do CBD no tratamento de doenças de fundo neurológico, dentre elas a epilepsia, o autismo, o mal de Parkinson, o mal de Alzheimer, os transtornos ligados a ansiedade e a depressão.

Hoje, o que um paciente deve fazer para adquirir um produto a base de cannabidiol?
Primeiramente é preciso ter um laudo médico em mãos que ateste a necessidade de uso do produto. Com o laudo e receita em mãos, o paciente deve entrar no site da Anvisa e solicitar a autorização para a importação. No caso da nossa empresa, tudo pode ser feito pelo site www.cbdvida.com.br. Desde o pedido de autorização na Anvisa até a compra dos produtos. Nosso objetivo é facilitar o processo, oferecendo aos pacientes todas as ferramentas necessárias para que ele possa adquirir produtos de qualidade e com segurança. 

Qual a expectativa para o mercado brasileiro?
Para analistas e consultorias externas, o mercado brasileiro é bastante promissor. Pesquisadores da BDS Analytics e Arcview Market Research projetam que o mercado coletivo de vendas de CBD nos EUA ultrapassará US$ 20 bilhões até 2024, sendo que no Brasil a perspectiva para os próximos três anos é de US$ 4,6 bilhões.

E como empreendedor da área, como você vê esse mercado?
Com expectativas muito positivas. Hoje cadastrados na Anvisa temos cerca de 7 mil pacientes autorizados a importar o CBD para o seu tratamento pessoal. No primeiro semestre de 2019, os pedidos para importação do CBD já superaram a somatória de pedidos do ano passado, o que mostra que a taxa de crescimento ela é realmente muito relevante. Então, podemos dizer que não se trata apenas de uma questão de saúde pública, mas também de um negócio potencialmente muito promissor. Acredito sinceramente gerar a união de um negócio sustentável e que esteja alinhado a busca do bem-estar dos pacientes e a melhoria da qualidade de vida, criando um equilíbrio saudável entre os aspectos econômico e social.

Como nasceu a CBD Vida?
Minha jornada com o cannabidiol começou no início do ano de 2016, depois que a Anvisa publicou a resolução nº 17, em 2015, retirando o CBD, ou o cannabidiol, da lista de substâncias controladas e passou a permitir a sua importação, de maneira individualizada, pelos pacientes que tem uma necessidade especifica com relação a esse produto. Mediante isso, outros países começaram a olhar em relação a abertura do mercado brasileiro, especialmente o Canadá, eu recebi uma consulta pela minha experiência na área de direito penal empresarial, direito econômico, sobre a questão da legalidade no Brasil sobre a possibilidade de iniciarem suas atividades aqui no país, obviamente que o assunto me encantou logo de início e em vez de ser o advogado ou o jurista que poderia dar suporte a companhia eu acabei me envolvendo diretamente com o projeto.

E como funciona a parceria com o Canadá?
Criamos uma empresa binacional, que é o Grupo Vida, que envolve desde a parte da produção, da manipulação, da extração do CBD no Canadá e nos EUA e a CBD Vida no Brasil fica responsável pela venda do produto, pela conscientização de médicos e pacientes sobre esse novo tipo de tratamento que pode ser utilizado ai em diversas patologias.