Entrevista da Semana - Carlos Ruggeri

Entrevista da Semana - Carlos Ruggeri

Carlos Ruggeri – Engenheiro, mentor de produtividade
Carlos Ruggeri – Engenheiro, mentor de produtividade

RAIO-X
Carlos Ruggeri
- Palestrante do Performance 2020
Principais atividades: Engenheiro, mentor de produtividade

“Viver em uma modernidade líquida exige investimento em conhecimento e experimentação planejada”

Com conteúdo único o evento “Performance 2020” reúne uma trajetória de vida responsável e atenta, com foco na longevidade, na qualidade de vida e na autonomia, passando da terceira idade. Conforme a nova expectativa de vida, o ser humano viverá até os 100 anos. No dia 23 de novembro, das 8 às 13h30, serão realizadas quatro palestras no Vinhedo Plaza Hotel, com cientistas e mentores reconhecidos no Brasil e no mundo, como Wellington Nogueira – Empreendedor e Fundador dos Doutores da Alegria, Prof. Dr Marco Cantero - Médico, cientista, pesquisador, especialista em longevidade, Carlos Ruggeri – Engenheiro, mentor de produtividade e Danilo Afonso – Psicanalista com foco em desenvolvimento pessoal e profissional.

Como as pessoas podem conhecer e se apropriar da nova era 4.0?
Desde a primeira revolução industrial, a humanidade já conhecia o potencial criativo do homem para gerar constantes soluções e atender às novas necessidades. Todas as revoluções seguintes do mercado e da indústria já eram esperadas. A era 4.0 ou a quarta revolução envolve toda a sociedade, passando pela indústria, serviços, tecnologia, universo digital, toda internet das coisas e pelas prioridades que os indivíduos vão eleger para a vida. Esta é a era da informação e do conhecimento, é imperioso dedicar tempo para se atualizar diariamente, tudo sofre alterações, em curto espaço de tempo, com maior agilidade. Para acompanhar as mudanças e entender como viver melhor em uma modernidade líquida o conhecimento e a experimentação são sempre as melhores ferramentas.
Viver em uma modernidade líquida exige investimento em conhecimento e experimentação planejada

Quais serão os benefícios para a sociedade?
A era corporativa 4.0, com as poderosas organizações voltadas à automação, troca de dados, Inteligência Artificial, comandos digitais e geração do milênio, apresenta um norte para equacionar as questões contemporâneas. Com a inerente necessidade de planejamento, a sociedade tende a ficar mais centrada em objetivos traçados para a vida integral e não para resultados segmentados. A economia, os serviços e a indústria vão conversar diretamente com a satisfação das pessoas. O equilíbrio será a palavra chave para respeitar o valor do tempo. As pessoas vão viver mais, e querem investir o tempo para se manter saudáveis emocionalmente e profissionalmente, assim usufruir de todas as etapas da vida. A realização precisa ser diária, em todos os segmentos da vida. Passam a ter real importância no processo, os públicos diretos e indiretos, desde o idealizador, o investidor, os colaboradores, os clientes e a comunidade. A tecnologia digital é um espelho dessa dinâmica, que só começou.
O homem só não será substituído pelo cuidado genuíno que aplica ao outro, ao que toca a emoção do seu interlocutor, o que de fato a tecnologia nunca deverá atingir – o sentimento humano.

Empregos ou trabalhos? Quem terá atividade remunerada?
Esta nova era 4.0 exige resiliência, equilíbrio emocional e físico, tem que ter saúde e qualidade de vida para seguir uma maratona de mudanças. As pessoas que quiserem se manter produtivas sentirão a necessidade de adaptar rapidamente aos novos ritmos de processos de criação, gestão e vendas de soluções. Buscar o conhecimento já não será o suficiente, será necessário encontrar a experimentação, vivenciar tendências e alimentar a criatividade. Reclamar não irá trazer aquele velho trabalho de volta, buscar as carências humanas de forma empática é um dos caminhos apontados para estes novos tempos. O homem só não será substituído pelo cuidado genuíno que aplica ao outro, ao que toca a emoção do seu interlocutor, o que de fato a tecnologia nunca deverá atingir – o sentimento humano.

Como a nossa região poderá colher bons frutos destes novos tempos?
Com um potencial produtivo, reunindo qualidade de vida e promissores talentos oriundos das principais universidades do País, a Região Metropolitana de Campinas - RMC já acolhe empresas conectadas com esta 4ª revolução industrial. Há quem diga que estamos no centro do novo “Vale do Silício” brasileiro. Empresas de inovação, tecnologia, serviços estão se estruturando em cidades como Campinas, Valinhos e Vinhedo, com volumosos investimentos. Em busca de atração de talentos, sabem que as gerações produtivas buscam não somente bons trabalhos, mas principalmente a realização integral, pessoal e profissional. A RMC oferece a qualidade de vida que os novos talentos buscam, há mais segurança, áreas verdes preservadas, bom clima, eventos inovadores, boas escolas e universidades, está estrategicamente entre as principais rodovias, tem projetos de receber uma malha férrea competitiva e possui um dos principais aeroportos do País, tudo interligando às principais capitais.
Segundo o último Fórum Econômico Mundial até 2022, serão criados 133 milhões de novos empregos

Quais são as estimativas de trabalhos?
Segundo o último Fórum Econômico Mundial até 2022, serão criados 133 milhões de novos empregos, outros 75 milhões deixarão de existir. Isso irá impactar todos os setores da sociedade, com vantagens e pontos a serem observados como oportunidades de mudanças positivas na economia, na educação, na saúde e até na política. O otimismo parte do ponto de vista quando ainda podemos nos planejar e nos adaptar à novas situações impostas.
Tudo indica que os mais aptos a produzir melhor novas ideias, diferentes ou somadas à inteligência artificial, capazes de suportar as adversidades da transição, os que apresentarem as características de cuidado humanizado, que aplicarem a empatia, os que criarem mais soluções com recursos limitados e principalmente os que apresentarem facilidade de adaptação, com inovação, terão maiores chances de sucesso neste novo mapa da economia. O desafio está em oferecer projetos de vida, proporcionando mais alegria e sentido à humanidade, que aposta viver 100 anos ou mais. No evento “Performance 2020” teremos a oportunidade de evidenciar essas questões, equacionar novos rumos para a realização integral dos profissionais e das organizações.