Entrevista Ana Massara

Entrevista Ana Massara

O café é brasileiro. O cheiro forte do grão é o ponto principal de partida no amanhecer ou para receber uma visita. E o café com a arte? Para a artista plástica Ana Massara, essa é uma das combinações perfeitas. Admiradora e degustadora de café, ela uniu suas duas paixões para dar continuidade ao Café Cultural, realizado por ela enquanto esteve na Secretaria de Cultura e Turismo, no novo projeto Conexão Café & Cultura em seu espaço cultural, que tem o apoio da Folha de Valinhos.
Nesta entrevista, ela conta sobre o novo desafio e diz que mensalmente trará convidados para expor a sua arte em um momento de contato com o público.

Folha de Valinhos: Trazer o Conexão & Café tem relação com o Café Cultural, que você desenvolvia na Secretaria de Cultura?
ana massara
: Na verdade tem. Como eu que criei o Café Cultural na Prefeitura, foi algo que eu realmente abracei e contei com o apoio do Fabrício Bizarri e do André Reis. Foi um evento que teve 27 edições, foi muito legal o contato com pessoas da cidade contando a história delas, como músicos, artistas plásticos. É uma ideia que eu gostei demais e o fato de ter saído da prefeitura, senti um ‘não sei como fazer para fazer parecido’. Como eu tinha um café, sentei aqui e falei: ‘Aqui dava para fazer o café cultural também’. Pensei nisso, em algo mais ligado às artes plásticas também porque teria exposições já que aqui é uma galeria. Veio essa ideia de Conexão Café & Cultura porque seria uma coisa que abraçaria o Café. Eu quero viajar por todas estas áreas culturais e até pessoas que tenham uma história com a cidade para contar para a gente.

O Marcos (Guimarães) para mim é um ídolo

Cultura você vive

Não há nada melhor que você bater um papo acompanhado de um café

Por que o Marcos Guimarães é o primeiro convidado?
O Marcos para mim é um ídolo. Desde que mudei para Valinhos, é um dos meus ídolos. O Marcos, além de ser um artista completo porque ele é um pintor, escultor e desenhista, ele é valinhense, um cara que nasceu em Valinhos. E é uma pessoa extremamente tímida. Então, se a gente puder trazê-lo para perto do público é uma oportunidade de ouvir o que ele tem para falar. Ele está com projetos maravilhosos de esculturas, ele cuida daquele projeto de esculturas monumentais fora do país. Ele tem contatos incríveis, acontecem coisas incríveis que a gente não fica sabendo.  A cidade precisa conhecer os talentos que ela tem, e o Marcos, para mim, é um grande talento.

Como será a dinâmica do encontro?
Ele (Marcos Guimarães) vai trazer obras, nós vamos montar uma exposição aqui no espaço, algumas destas obras são inéditas, e depois a gente vai fazer um bate-papo com ele. O público também vai poder perguntar, matar curiosidades, saber o que ele está fazendo, como ele começou. É bem interessante para as pessoas poderem ter este contato com ele.

Este evento cultural será realizado com qual frequência?
Eu fazia este evento às segundas-feiras na Biblioteca e eu acho que é um bom dia. Sempre gostei de segunda-feira porque acho que que ninguém tem compromisso. Você vai trabalhar, e a segunda-feira sempre é muito chata, então tem alguma coisa agradável para estimular na segunda-feira – esta sempre foi a minha ideia. Eu não gosto de sexta, por exemplo, todo mundo tem programa. Segunda é um dia mais tranquilo para pegar um evento deste, é um horário que não atrapalha ninguém porque às 21h30 está acabando, quer dizer, volta para casa e trabalha no dia seguinte tranquilamente.

O evento será mensal?
Se Deus quiser vou conseguir fazer mensalmente.

Já tem nomes para os próximos convidados?
Olha, a minha ideia é que no próximo seja um filósofo. É uma pessoa que eu admiro muito. Como eu não convidei ainda, já falei para ele em outros tempos que eu gostaria  muito que ele falasse e já tinha aceitado, então não posso divulgar. Mas posso dizer que é uma pessoa que entende muito da área de filosofia da arte, fez faculdade fora do país, tem uma bagagem legal para fazer. É um bate papo que vale a pena.

Café e cultura é uma combinação perfeita?
Eu acho (risos). Eu adoro café e adoro cultura. Eu acho que todo mundo necessita de cultura, você precisa de cultura para viver. Este país está indo para baixo por falta de educação e cultura, então eu acho que a cultura é uma das coisas mais importantes e as pessoas precisam saber o quanto isso tem de ser vivido. Cultura você vive. E o café, meu Deus do céu, não sou nada sem ele, porque o café é uma delícia. Não há nada melhor que você bater um papo acompanhado de um café, apreciar uma obra de arte com um cafezinho do teu lado.

RAIO-X

Nome: Ana Maria Bonani Massara Monteiro de Oliveira
Nascimento: São Paulo
Idade: 57 anos
Formação: Artes Plásticas pela Mackenzie São Paulo

Serviço
O 1º Conexão Café & Cultura será realizado na segunda-feira, 4, das 19h às 21h30, no Espaço Cultural Ana Massara, que está localizado na Rua Marlene Piato Conte, 908.

 

+ Fotos: