Em entrevista, Dr. Daniel Buttignol fala sobre as ações do Grupo Covid A

Em entrevista, Dr. Daniel Buttignol fala sobre as ações do Grupo Covid A

O médico ginecologista e obstetra, Dr. Daniel Buttignol, membro da Associação Médica de Valinhos e membro do Grupo Covid-A
O médico ginecologista e obstetra, Dr. Daniel Buttignol, membro da Associação Médica de Valinhos e membro do Grupo Covid-A

RAIO-X
Nome: Daniel Buttignol
Idade: 51 anos
Profissão: ginecologista e obstetra
Tesoureiro da Associação Médica de Valinhos
Membro do Grupo Covid-A

“Estamos ultrapassando a pandemia com muita sabedoria, bom senso e fé”

Na última semana, o Grupo COVID-A, formado por voluntários de Valinhos, adquiriu 60 macacões impermeáveis - utilizados pelos profissionais de saúde para se protegerem do coronavírus - e doou ao Hospital e Maternidade Galileo, Santa Casa e Secretaria de Saúde de Valinhos. Cada instituição recebeu 20 unidades.

As arrecadações da campanha promovida pelo Grupo COVID-A estão sendo feitas através da APM (Associação Paulista de Medicina) – sucursal Valinhos, que realizou as entregas. A Folha de Valinhos conversou com o tesoureiro da APM, Doutor Daniel Buttignol, que falou sobre os detalhes das ações realizadas no município.

O que é a APM-Valinhos?
APM-Valinhos é uma associação civil fundada em 03/10/1995 sob a designação inicial de Associação Médica de Valinhos. Com o decorrer do tempo se tornou entidade afiliada da Associação Paulista de Medicina, passando então a ser APM-regional Valinhos com a finalidade de ser associação civil sem fins lucrativos, com objetivo precípuo de representar a classe dos médicos associados da região de Valinhos. Atualmente temos um corpo associativo com 64 médicos associados ativos.

Já realizaram outras ações sociais na cidade? Quais?
Sim, participamos como integrantes do Conselho Municipal de Saúde; também participamos no passado de atividades de reciclagem profissional dos médicos da rede pública e privada da cidade, além de já termos liberado nossa sede como local de apoio para eventos da rede pública e privada que tenham como finalidade o aprimoramento do cuidado a saúde dos valinhenses.  Como entidade civil, temos nos esforçado para contribuir positivamente na saúde do Município.
Durante o último mês, a APM-Valinhos se uniu ao Grupo COVID-A para realizar doações para a PMV e Hospitais da cidade. Fale sobre essa união.
O COVID-A surgiu de ações conjuntas entre comunidade e médicos (APM) em prol da imunização dos profissionais da saúde que atuam na linha de frente contra o Covid 19, seja na rede pública e nos hospitais Galileo e Santa Casa de ValinhosO trabalho do COVID-A pode ser acompanhado pelas redes sociais, através do Instagram @covidavalinhos e do Facebook/covidavalinhos.

E quais são os objetivos do Grupo?
Um dos principais é a doação de equipamentos (EPIs) para vestir os profissionais com segurança através de viseiras acrílicas, máscaras cirúrgicas e “bico de pato” (nº 95), macacões impermeáveis e selados, aventais impermeáveis, gorros, óculos de proteção, etc.
Além dos EPI´s, o grupo também quer ajudar a aumentar o número de respiradores disponíveis da cidade e amparar cerca de quatro mil famílias vulneráveis, através da doação de alimentos, produtos de limpeza, produtos de higiene pessoal, máscaras e álcool em gel.

Para isso, o grupo conta exclusivamente com doações, que são feitas através do trabalho de voluntários espalhados em condomínios e bairros da cidade. Todas as doações em dinheiro caem direto na conta corrente da APM – sucursal Valinhos. Uma comissão, formada por médicos e por representantes dos voluntários, decide qual equipamento deve ser comprado, realiza uma cotação e, após a compra, distribui entre as três instituições.

Quais são os dados da conta para quem tiver interesse em realizar doações em dinheiro?
As doações, de qualquer valor, podem ser feitas através do:
Banco Unicred (136)
Agência: 3101
Conta corrente: 457-0
CNPJ: 01.173.124/0001-31 (Associação Paulista de Medicina)

Já realizaram outras doações para os hospitais?
Sim. Ações sociais e também humanitárias foram realizadas por membros do grupo COVID-A na construção e no equipamento do berçário e UTI neonatal da Santa Casa de Valinhos, adquirindo através de contatos com empresários e diferentes segmentos da sociedade equipamentos como respiradores, desfibriladores, materiais cirúrgicos, melhoria na parte de hotelaria (com reformas de quartos, banheiros, aquisição de camas hospitalares e poltronas eletrônicas, entre outros.

Qual a opinião da APM-Valinhos quanto à necessidade de isolamento social?
Nós da APM-Valinhos fazemos parte de uma entidade de Classe profissional que está unida em considerar o isolamento um dos mais importantes itens de combate a esta pandemia. Desde nossa pequena regional, até sua entidade mãe, a APM que representa toda a classe do Estado de São Paulo chegando ao topo com a WHO (Organização Mundial de Saúde) concordam com essa opinião.  Ao evitar contato social evitamos a disseminação e com isso a velocidade de propagação do COVID-19 diminui e podemos  cuidar melhor  dos casos sem saturar o sistema de saúde, ou seja, as pessoas poderão procurar o sistema de saúde onde o tempo de espera  será aceitável, haverá profissionais de saúde disponíveis para atendê-los, usando equipamentos  individuais de proteção, com insumos para o tratamento e principalmente haverá leitos disponíveis com recursos como respiradores se houver necessidade de internação. Nós da APM – Valinhos consideramos que higienizar as mãos acompanhado do isolamento social a primeira e mais importante ação no combate ao coronavirus e salientamos que isto esta ao alcance de todos nós.

Parte da sociedade tem protestado contra a quarentena e lutado pela reabertura do comércio, por exemplo. Vocês acreditam que esta flexibilização poderia trazer graves impactos para o sistema de Saúde?
A flexibilização tem de ocorrer, mas no tempo certo. Se precoce pode recrudescer a pandemia e perdemos o controle e tudo aquilo que conseguimos com o isolamento social até o momento. Se for tardia poderemos ter impactos econômicos excessivos. Tivemos grandes resultados até o momento com o isolamento social, pois temos um sistema de saúde não saturado, que está absorvendo o impacto desta pandemia e mostrando resolução. Vamos manter a monitorização epidemiológica da pandemia e em função de nossas características locais e talvez possamos em breve visualizar a luz da flexibilização.

Se pudessem fazer um apelo à sociedade hoje, qual seria?
Os valinhenses foram maravilhosos até agora, estamos ultrapassando a pandemia com muita sabedoria, bom senso e fé. Continuem no caminho que está dando resultados. Evitem riscos, se protejam; a vida é frágil, única e maravilhosa, por isso os trabalhadores da área de saúde se expõem para protege-la. Neste período de isolamento social se planejem para construir um mundo mais solidário e fraterno quando a flexibilização chegar.

+ Fotos: