Você sabia: Dez curiosidades sobre a Festa do Figo

Você sabia: Dez curiosidades sobre a Festa do Figo

1. Você sabia que, conforme relatado pelo Padre Bruno Nardini no livro Tombo da Matriz, a 2ª Guerra Mundial prejudicou diretamente a realização da Festa do Figo nos anos de 1944 e 1945? Isso porque a escassez de gasolina impedia o deslocamentos dos visitantes/turistas

2. Além dos locais já conhecidos por todos – Largo São Sebastião, Praça Washington Luiz e Parque Municipal – a Festa do Figo também foi realizada na Fonte Sônia? O fato aconteceu no ano de 1952, com organização realizada pela Prefeitura de Valinhos em parceria com o Lions Clube.

3. A exposição de frutas - principal atração da Festa do Figo, que vem conquistando gerações há mais de sete décadas – aconteceu desde o primeiro evento, em 1939. Na época, a Festa era realizada no Largo de São Sebastião.

4.  Que a Festa do Figo foi criada pelo Padre Bruno Nardini para angariar fundos para a construção da Nova Matriz de São Sebastião todo mundo já sabe. O fato que poucos conhecem é que a criação da quermesse na época também veio ao encontro do anseio dos produtores que, muitas vezes, perdiam parte da produção por não terem ainda condições de comercializá-la. Então, a venda de frutas na Festa ajudava os agricultores a venderem suas frutas e, assim, escoar a produção.

5. O Figo chegou em Valinhos em 1901 pelas mãos do italiano Lino Bussato e as mudas de figueira se adaptaram rapidamente ao clima valinhense. Inicialmente, as plantações começaram a ser feitas na propriedade da família Bussato, que de acordo com a história, estava localizada no cruzamento das avenidas Campos Salles e Invernada. Após um primeiro período, Lino passou a distribuir mudas de figo para outros agricultores, aumentando o número de produtores de figo no município.

6. Você sabia que o figo não é uma fruta e sim uma flor? Para explicar em termos simples, os figos não são, estritamente falando, frutos – são flores invertidas. As figueiras não florescem do mesmo modo como as macieiras ou os pessegueiros. Suas flores se abrem dentro de uma vagem em formato de pera, que, mais tarde, amadurece e se converte no fruto que comemos. Então cada flor produz um fruto único, com uma só semente de casca dura, chamado aquênio, e o figo é composto de muitos aquênios, que são o que lhe confere seu caráter crocante. Portanto, quando comemos um figo, estamos na realidade comendo frutos múltiplos.

7. Que antes da goiaba ser a principal cultura entre os agricultores japoneses que chegaram a Valinhos na década de 50 e fixaram residência nos sítios do bairro Macuco, o tomate foi a aposta inicial. A opção pela goiaba partiu da família Kussakariba que trouxe de Mogi das Cruzes as primeiras mudas de goiaba que em poucos anos tomaram toda a região do Macuco, transformando Valinhos na maior produra de goiaba ‘in natura’ do Brasil.

8. Foram necessários mais de quatro décadas para que fosse criada a Expogoiaba, isso em 1994, e a produção da goiaba ‘in natura’ pela colônia japonesa ganhasse destaque durante a Festa do Figo

9. Que Valinhos já teve uma grande produção de maças na década de 50? E que a implantação das mudas de macieira foi iniciativa do padre Bruno Nardini e que Valinhos chegou a realizar em 1952 a Festa da Maça?

10. Que no Brasão Oficial do Município, criado por ocasião da instalação do município em 1955, é enaltecido o Figo Roxo e a Maça

+ Fotos: