Samba da Tia Rê agora é patrimônio cultural de Valinhos

Samba da Tia Rê agora é patrimônio cultural de Valinhos

O Samba da Tia Rê começou em 2014, em homenagem póstuma à Regina Jesuíno, amiga em comum dos membros do Grupo Versá e Amigos
O Samba da Tia Rê começou em 2014, em homenagem póstuma à Regina Jesuíno, amiga em comum dos membros do Grupo Versá e Amigos

Os vereadores aprovaram por unanimidade na sessão desta terça-feira, dia 9, projeto de lei que declara o Samba da Tia Rê como patrimônio cultural de Valinhos. Integrantes do grupo responsável por organizar rodas de samba que viraram tradição na cidade estiveram no plenário e comemoram a aprovação do texto. O projeto é de autoria dos vereadores Edinho Garcia (DEM), Franklin (PSDB) e Mayr (Podemos).

O Samba da Tia Rê começou em 2014, em homenagem póstuma à Regina Jesuíno, amiga em comum dos membros do Grupo Versá e Amigos, que amava samba de raiz. Além da homenagem, a ideia dos músicos era fazer um projeto cultural de roda de samba mensal, convidando a população em geral para uma tarde de lazer. Nesses encontros, eram resgatados clássicos do samba de Adoniran Barbosa, Cartola, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, João Nogueira, Ataulfo Alves, entre outros.

O vereador Edinho Garcia enalteceu o trabalho do grupo e destacou a importância do projeto. “Patrimônio cultural é tudo aquilo que possui valor histórico e cultural para um País ou uma pequena comunidade, que é o que acontece em Valinhos [com o Samba da Tia Rê]”, explicou.

O vereador Mayr afirmou que o Samba da Ta Rê reúne pessoas de todos os cantos da cidade, sem qualquer tipo de discriminação, trazendo diversão aos valinhenses, formando amigos, fazendo atividades assistenciais e mantendo vivo o samba raiz. “Esse projeto é para eternizar o Samba da Tia Rê e todas as pessoas que criaram esse evento”, ressaltou.

O vereador Franklin disse que o Samba da Tia Rê é formado por pessoas que amam a cidade de Valinhos e que fazem muito pela cidade em várias áreas. “Os integrantes fazem muitas coisas, não só música boa”, pontuou, citando o trabalho voluntário de membros. “O Samba da Tia Rê é totalmente acolhedor. Participei de vários e nunca fui discriminado, nunca me falaram se eu podia entrar (...) Vocês representam um pedaço muito importante da cultura do município de Valinhos”, discursou.

O projeto segue agora para sanção ou veto da prefeita Capitã Lucimara (PSD)