Projeto Muros da Mata Atlântica de Alexandre Filliage ganha as ruas de Campinas

Projeto Muros da Mata Atlântica de Alexandre Filliage ganha as ruas de Campinas

O artista plástico Alexandre Filiage, responsável pelas artes que estampam as latas de panetone da Casa da Criança de Valinhos deste ano e de diversos murais espalhados pela cidade com a temática Mata Atlântica, dentre eles o muro da Avenida Paulista e uma das colunas do Viaduto Laudo Natel, agora ganhou as ruas e muros de Campinas.

No final de novembro o artista  finalizou um painel de aproximadamente 180 metros quadrados pintado em um dos paredões laterais da avenida Aquidabã, próximo ao Bosque dos Jequitibás, situado em uma área remanescente de Mata Atlântica no município. O painel virou atração para motoristas e pedestres que passam pela via.

Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Muros na Mata Atlântica tem o patrocínio da AkzoNobel, por meio da Coral e do movimento Tudo de Cor, iniciativa sociocultural sustentável do grupo para o fomento de ações voltadas a colorir e restaurar áreas urbanas. A produção executiva do projeto é da Track Comunicação e Eventos, de Campinas, com parceria da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

O Projeto Muros na Mata Atlântica, foi concebido, segundo Filiage, com a proposta de trazer a exuberância da natureza para o espaço urbano das metrópoles. “O propósito do projeto é presentear as comunidades com murais que, além de valorizar e impactar o entorno das áreas onde serão pintados, celebram a biodiversidade, animal e vegetal, e chamam a atenção para a urgência de preservação do que resta de Mata Atlântica”, afirma Filiage.

Natureza é a inspiração

Filiage trabalhou como ilustrador publicitário em São Paulo e viveu nove anos na Espanha. Lá, tomou contato com o trabalho de muralistas que o inspiraram a seguir a trajetória da pintura mural. De volta ao Brasil, fez vários trabalhos, desenvolvendo uma técnica de pintura multicolorida e de formas estilizadas, utilizando nas imagens plantas e animais típicos dos locais onde as obras são realizadas, com influência da Pop Arte e da ilustração norte-americana.

“A Mata Atlântica, que originalmente cobria quase todo o litoral brasileiro, hoje está reduzida a menos de 10% de sua cobertura original. Na região antes coberta por sua exuberante vegetação e lar de centenas de espécies de animais, hoje moram cerca de 70% da população brasileira, que são convidados a participar do esforço fundamental de preservação e recuperação desse inigualável patrimônio natural”, enfatiza.

Muros na Mata Atlântica é, portanto, uma alusão à expansão urbana para o interior do bioma. “São os muros que colocamos dentro da mata. De forma poética, ao pintar os murais trago a mata de volta ao seu lugar de direito”, conceitua o autor do projeto.

Ele nota que as finalidades do projeto estão em sintonia com a Agenda 2030, dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), e em particular com os compromissos que estipulam o uso sustentável dos ecossistemas terrestres.

Além de Campinas, os outros municípios que receberão os painéis dos Muros na Mata Atlântica são Mauá, São Paulo (dois murais) e São José do Rio Preto, em São Paulo; Curitiba (dois murais) e Foz do Iguaçu, no Paraná; Joinville e Florianópolis (dois murais), em Santa Catarina; e Gramado e Porto Alegre (dois murais), no Rio Grande do Sul.

“A arte tem o incrível poder de transformar um simples muro em uma obra artística. Por isso, além de levar beleza às ruas e valorizar o talento do artista por meio de intervenções que proporcionarão mais cor e relevância ao espaço urbano, o projeto também contempla ações formativas para o público”, explica a produtora cultural Silvia Maria Track, diretora da Track Comunicação.

Lata da Campanha do Panetona da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos 2022, criada por Filiage

+ Fotos: