Professores superam pandemia com amor, dedicação e convicção

Professores superam pandemia com amor, dedicação e convicção

Na quinta-feira (15) foi comemorado o Dia do Professor. Essa data sempre foi lembrada com muito carinho e respeito, mas em 2020, em função da Pandemia do Covid-19, a comemoração se tornou mais significativa. Os professores, acostumados a ensinar, foram obrigados a aprender. E, apesar de todos os contratempos, os professores seguem resilientes com a nobre missão de ensinar.

A Folha de Valinhos presta homenagem aos professores através da história da Fabiana de Freitas Campos, professora e psicopedagoga, 43 anos, valinhense, que leciono há 20 anos. “Apesar dos percalços da educação nos dias atuais, sou apaixonada e grata pela minha profissão. Quando amamos o que fazemos, tudo se torna mais prazeroso ainda, as dificuldades se tornam desafios e os resultados colhidos pela evolução e superação de cada aluno, se torna algo gratificante demais”, analisa.

A professora Fabiana trabalhou na área administrativa por 5 anos, mas a paixão pela educação fez com que ela retornasse com mais entusiasmo e dedicação. “Desde pequena sonhava em ser professora, ficava horas brincando de ‘escolinha’, representando meus professores, pois os tinha como exemplo. Os bonecos eram meus alunos e interagia com todos. Adorava”, conta.

O ano de 2020 foi um ano atípico para todos os setores da sociedade, inclusive a educação. Aulas online, aulas remota, lives, relatórios, reuniões, e os professores tiveram que se desdobrar para continuarem cumprindo a missão. “A pandemia nos trouxe medo, tristeza, insegurança, ansiedade, angústia e incerteza, mas, proporcionou a nós professores, maior conhecimento tecnológico, nos fez reinventar a cada dia e enfrentar os desafios minuto a minuto, assim como sempre fazemos, criando, inventando, inovando com o que temos e apresentando o melhor possível”.

Esse cenário incerto também prejudicou a vida escolar das crianças. Por isso, a professora Fabiana tornava aulas mais prazerosas e descontraídas. “Desde o dia em que iniciamos essas aulas, pude observar em cada rosto um semblante de alívio e felicidade por rever os amigos e professores, por poder compartilhar momentos de conhecimento, curiosidades, brincadeiras, acontecimentos diários e muita alegria”.

A pandemia proporcionou aos pais, gestores e educadores uma visão de empatia, gratidão e reconhecimento. A expectativa da Fabiana é que esse momento não seja momentâneo. “Tenho a esperança de um futuro melhor para a educação, que seja o início de uma verdadeira e merecida valorização dos professores, em todos os aspectos. Afinal, ser professor é mais do que ensinar, é conduzir com amor, cada aluno a trilhar um caminho de conhecimentos, descobertas, princípios, ética e valorização de si e do outro. O amor tudo constrói!”, finaliza.