O perigo dos vícios – Primeira parte

O perigo dos vícios – Primeira parte

Momentos

com Pastor Rui Mendes Faria

Querido leitor, nesta semana quero dar início à reflexão de uma triste realidade: O perigo dos vícios. Primeiro, vamos entender o significado do substantivo masculino, vício. No dicionário Aurélio, existem algumas definições como: Dependência física ou psicológica que faz alguém buscar o consumo excessivo de algo, de uma substância, geralmente alcoólica ou entorpecente; ou: tendência para provocar o mal ou ter ações contrárias à moral; depravação. Talvez você questione a necessidade de debatermos esse tema, argumentando que em geral, o consumo de bebidas alcoólicas e o uso das drogas já se tornou algo comum; praticamente um direito a ser usufruído por aqueles que assim desejam.

Meu objetivo como cidadão, é chamar a atenção para os malefícios que esses vícios trazem às pessoas, às suas famílias e a toda a sociedade.

Tenho certeza de que assim como eu, você se entristece por saber que existem muitas pessoas que diariamente consomem, exageradamente, bebidas alcoólicas ou algum tipo de substância química, seja o cigarro ou drogas como a maconha, a cocaína, o crack e outras mais agressivas.

Talvez até mesmo dentro de nossa família, exista alguém que se tornou dependente químico e há muito tempo não consegue ter uma vida normal. Ao longo de minha jornada como pastor, acompanhei muitos casos de pessoas viciadas, cujas vidas foram totalmente destruídas pelo consumo de álcool e drogas.

Ultimamente, estou ainda mais alarmado com a explosão de casos que vejo, inclusive entre famílias de crentes, e até mesmo de pastores. Dentro desse lamentável quadro, me pergunto: O que nós, os cristãos, estamos fazendo para alertar as pessoas sobre os malefícios físicos e espirituais causados por esses vícios?

Nós, que conhecemos as leis de Deus, sabemos que o uso de qualquer substância que altere nossa consciência ou tire nossa razão, é abominável aos olhos de Senhor. Em Efésios 5.18, lemos: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” O vinho, aqui, pode ser visto como qualquer tipo de substância cujo excesso no consumo pode levar ao desentendimento, e por consequência à discussão, à violência e até mesmo à morte de outrem.

Caros leitores, não quero ser o dono da verdade, mas ao passar pelas ruas e praças, é fácil constatar a situação desumana e cruel a que se submetem os que cultivam tais vícios, e não somente eles, mas todos ao seu redor.

Quando se inclina para as coisas erradas, o ser humano, criado à Imagem e à Semelhança de Deus, torna-se alvo fácil de satanás, o inimigo de sua alma, cujo interesse é leva-lo ao completo estado de abandono, destruição e morte.

É impossível não observar a devastação causada com a degradação dos relacionamentos entre maridos e esposas e o distanciamento entre pais e filhos.

Além dessas, existem outras questões sobre este assunto que desejo abordar, e o farei, se Deus permitir, na semana que vem. Que Deus nos afaste do mal.

Tenha uma semana abençoada!

SERVIÇO:

Pastor Rui Mendes Faria - Comunidade Evangélica Cristo Vive

Av. Dr. Altino Gouveia,  457 , jardim pinheiros , Valinhos  Fone:  19-38698499  

http://cristovive.org.br/