Festival Namaste: evento inédito vai oferecer atendimentos terapêuticos

Festival Namaste: evento inédito vai oferecer atendimentos terapêuticos

Festival Namaste, um convite à meditação
Festival Namaste, um convite à meditação

A ciência tem comprovado que a meditação traz bem-estar físico, mental e emocional, serenidade e concentração para o aprendizado e desenvolvimento das atividades. E mais, eleva a autoestima das pessoas, através da aceitação e do amor próprio, tornando-as mais livres e centradas, combatendo e amenizando os males da vida moderna, como o estresse e suas consequências na nossa saúde.

Na região de Campinas, há um público crescente que se dedica regularmente à meditação e ao autoconhecimento. Hoje, diversas modalidades meditativas acontecem dentro de clínicas de terapias alternativas, academias, instituições e espaços públicos. Agora, um evento inédito, denominado Festival Namaste Campinas, surge para divulgar e estimular ainda mais a prática da meditação a todas as pessoas interessadas, ao mesmo tempo, fomentar as necessidades de intercâmbio desse segmento, através do encontro e da interação de pessoas, profissionais e especialistas no assunto.

Promovido pelo site namastecampinas.com.br, o evento foi idealizado pela jornalista Clarice Tanaka e pela terapeuta holística e instrutora Janete Domenica, e ocorrerá no dia 20 de novembro, das 8h30 às 18 horas, no Centro de Eventos Loyola, no Instituto Padre Haroldo. Sem caráter religioso, o programa inclui palestras e vivências de diferentes linhas, como a Meditação da Felicidade, de origem indiana, e a zen-budista Zazen, com a presença da monja Heishin Gandra, discípula da monja Coen Roshi.

“Apesar de estar frequentemente na mídia, existe um certo desconhecimento e muitos acreditam ainda que a meditação é uma atividade religiosa ou praticada pelos novos hippies. Na realidade, pessoas de todas as profissões e classes sociais, com ou sem religião estão buscando cada vez mais esse caminho. Ou seja, a meditação contribui para o nosso bem-estar e qualidade de vida, além de trazer muitos outros benefícios, independente da nossa crença, não crença ou religiosidade. Não à toa, a meditação já faz parte das práticas alternativas aprovadas pelo Ministério da Saúde”, ressalta a jornalista.

“O descontentamento do indivíduo é uma realidade em tempos atuais. Seja pelo estresse, causado pelo mundo cada vez mais competitivo, seja pelos maus relacionamentos (consigo mesmo, com a família, com o meio em que vive), as pessoas estão acumulando padrões de pensamentos e sentimentos negativos, por não conseguirem resolver os conflitos de forma satisfatória. A meditação e o autoconhecimento têm sido um caminho eficaz para quem deseja voltar-se para dentro de si, ver sua realidade de outra maneira e rever valores para uma vida mais autêntica, feliz e saudável”, recomenda Janete Domenica.

O Festival Namaste Campinas conta com o apoio da Unimed, Magnus Imagens Médicas, Rede FarmaGente, Alfa Acupuntura, Patrulheiros Campinas, Associação dos Orquidófilos de Campinas e Instituto Padre Haroldo. A programação contará ainda com práticas coletivas (yoga, biodança e outras), atendimentos terapêuticos diversos, feira de produtos e apresentação do grupo vocal Canto das Águias, especializado em mantras. A alimentação oferecida aos participantes será feita com ingredientes agroecológicos, produzidos sem uso de agrotóxicos. Os interessados devem se inscrever com antecedência através do site: namastecampinas.com.br.

Pedagoga, musicista, discípula de monja Coen

Monja Heishin Gandra é paulistana, discípula de Monja Coen Roshi, com formação no budismo zen da tradição japonesa Soto-Zen. Pedagoga, com atividade profissional, por 36 anos, no Governo do Estado de São Paulo, contribuiu na formação e capacitação de servidores de prefeituras municipais e de órgãos estaduais para a implementação de políticas públicas das áreas sociais, direitos humanos, meio ambiente, e em movimentos de cultura de paz e não violência.

Orienta práticas de zazen, meditação zen e cursos. Integra iniciativas de mobilização e sensibilização social por meio da meditação e diálogos temáticos, a diversos públicos, tendo por base os ensinamentos de Xaquiamuni Buda. É também musicista, integrando som e sopro, como linguagem do “interser”.