Dia do professor: profissão que forma e transforma

Dia do professor: profissão que forma e transforma

A missão do verdadeiro mestre é desafiar o aluno a ir além
A missão do verdadeiro mestre é desafiar o aluno a ir além

Uma profissão única que torna todas as outras possíveis. Afinal, o que seria do advogado se não fosse o professor? E do engenheiro, então? Ou quem sabe até do médico? Pois é, nenhuma delas existiria.

A vida profissional de qualquer pessoa requer um desenvolvimento contínuo. E a missão do professor é despertar essa vontade do aluno por aprender.

A dona Joana, professora aposentada de língua portuguesa, é um exemplo disso. Ela alfabetizou crianças de uma zona rural de Belo Horizonte, em Minas Gerais por 20 anos. Mora em Valinhos há dez e sente saudade daquela época. “Eu não pedia para escrever chocolate, siri ou televisão. Eu procurava palavras que estavam a alcance dos olhos e das mãos dos meus alunos. Eles escreviam flor, pedra, panela, amor”, afirmou.

Seja português, história, matemática, geografia. Todos os professores se desafiam a dar o seu melhor a cada dia para somar na matemática da vida um futuro melhor para essas pessoas que hoje estão na sala de aula.
“Afinal, mesmo os professores estiveram lá um dia olhando para o famoso ‘Quadro negro’ e ouvindo para aprender. São ciclos eternizados”, explicou.

A missão do verdadeiro mestre é desafiar o aluno a ir além. “A minha sempre dizia: ‘você pode ser melhor do que isso, vamos lá’.  E me motivava não só com palavras como também com ideias que me faziam crescer”, disse a professora de artes Mariana França.

Todos nós tivemos mestres que marcaram a nossa história. A Mariana França por exemplo  dá aula de artes para crianças do ensino fundamental há 8 anos. Ela se espelhou no que aprendeu durante a infância. “Ela tinha um dom. Ela ensinava de uma maneira simples, prática e sempre descontraída. Ela despertava a nossa curiosidade. Eu sempre queria aprender mais”, explicou.

Hoje, ela garante que tenta passar esse aprendizado descontraído para outras crianças. “Eu tiro o lápis e a borracha e dou a tinta e o pincel. Eu gosto de estimular a criatividade. Porque o futuro desses alunos também precisa de cor”, disse.

E é claro que não podia faltar uma data para homenagear esses profissionais que transformam a vida de tantas pessoas. Parabéns à eles!