Cresce o número de pessoas que andam de bicicleta

Cresce o número de pessoas que andam de bicicleta

A bicicleta está em alta na pandemia! Apesar das restrições e das mudanças de comportamento, muitas pessoas optaram pela bicicleta como meio de transporte para trabalhar, lazer ou como atividade física. De acordo com pesquisa Itaú/Unibanco, o setor de produção e venda teve alta de 54% em 2020.

Denílson Pereira de Almeida, proprietário da Só Poeira Bike, percebeu o aumento do número de pessoas adeptas da bicicleta desde o ano passado. “Com a pandemia as academias fecharam, os ônibus lotados e não tinha opção. A pandemia veio para ensinar a viver porque muitas coisas que fazíamos de carro ou ônibus vimos que é possível fazer de bike”, destaca. Ele pedala há 11 anos e lembra que o início foi despretensioso. “Começou a virar rotina que se tornou prazer e mudou tudo em minha vida, saúde, bem estar, pensamentos”, acrescenta.

Para ele, a cidade tem condições de ter mais pessoas praticando o ciclismo e obtendo qualidade de vida, mas lamenta a falta de investimento. “A cidade é bem propícia para o mountain bike, com subidas e descidas. Mas a gente não tem incentivo para a bike, não tem uma ciclovia no centro da cidade. O cicloturismo, por exemplo, está parado. Existe uma imensidão de lugares para expandir, mas não tem recurso e incentivo para isso”.

A personal trainer Flávia Leão destaca os benefícios do ciclismo para ter qualidade de vida. “Considero o melhor exercício aeróbico, principalmente para quem está sobrepeso ou sedentário e quer praticar uma atividade para melhorar o condicionamento físico porque não tem nenhum impacto, fortalece toda a musculatura das pernas e ajuda no processo de emagrecimento”. Para ela, é fundamental nesse período de restrições. “O mais importante é que faz bem para a mente, principalmente nesse momento de quarentena, passear ao ar livre, estar em contato com a natureza, é muito importante para nossa saúde mental”, conclui.

+ Fotos: