Seleção olímpica faz 2 a 0 na Irlanda e avança à decisão de torneio na França

Seleção olímpica faz 2 a 0 na Irlanda e avança à decisão de torneio na França

Aubagne, França

Em uma campanha perfeita, com 100% de aproveitamento e nenhum gol sofrido em quatro jogos, a seleção brasileira olímpica (sub-23) conseguiu nesta quarta-feira a classificação à decisão do Torneio Maurice Revello, o antigo Torneio de Toulon, na França. A vaga veio com a vitória nas semifinais por 2 a 0 sobre a Irlanda, no Stade de Lattre de Tassigny, na cidade de Aubagne, que fica na região metropolitana de Marselha.

O triunfo sobre os irlandeses aconteceu com os gols dos atacantes Paulinho (ex-Vasco e hoje no Bayer Leverkusen, da Alemanha), no início do primeiro tempo, e Matheus Cunha (do RB Leipzig, outro clube alemão), logo no começo da segunda etapa. Ainda antes de abrir o placar, a seleção brasileira desperdiçou uma cobrança de pênalti com o volante Douglas Luiz, que joga no Girona, da Espanha.

Segundo maior vencedor da competição com oito títulos - só atrás dos 12 da França -, o Brasil fará a sua nona final no Torneio Maurice Revello. A disputa da taça da 47.ª edição da competição será contra o Japão, estreante na decisão, neste sábado, às 11 horas (de Brasília), no Stade d'Honneur Marcel Roustan, na cidade de Salon-de-Provence. Na outra semifinal, os japoneses derrotaram o México por 5 a 4 na disputa por pênaltis, após empate por 2 a 2 no tempo normal.

O antigo Torneio de Toulon para o Brasil, que é comandado pelo técnico André Jardine, é uma preparação para a equipe que disputará o Pré-Olímpico em janeiro do ano que vem, que dará duas vagas aos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, no Japão. Entre os principais destaques da equipe, além de Douglas Luiz e Paulinho, estão os meias Pedrinho e Mateus Vital, do Corinthians, o atacante Antony, do São Paulo, e o centroavante Pedro, do Fluminense.

Em campo, a seleção imprimiu um ritmo frenético no início do confronto e por pouco não abriu o marcador. Aos dois minutos, Matheus Cunha foi derrubado dentro da área e o árbitro apontou para a marca do pênalti. Na cobrança, Douglas Luiz buscou o canto esquerdo do goleiro irlandês, mas mandou para fora. Logo no minuto seguinte, Pedrinho deu passe em profundidade para Matheus Cunha, que chutou cruzado rente à trave.

A pressão não demorou para surtir efeito. Depois de um bela jogada, aos 14 minutos, Iago escorou de cabeça para Matheus Cunha. O atacante percebeu a aproximação de Paulinho e tocou para o companheiro, que finalizou rasteiro direto para o fundo das redes. Com a vantagem no placar, o Brasil passou a controlar mais a partida e quase chegou ao segundo gol aos 36. Paulinho recebeu na área e bateu colocado por cima da meta irlandesa.

Na volta do intervalo, o Brasil não deu nem tempo para a Irlanda pensar em reagir. Com menos de um minuto de bola rolando, a dupla Paulinho e Matheus Cunha voltou a funcionar, mas dessa vez o ex-vascaíno foi quem mandou para o gol em um chute rasteiro. Foi o 15.º tento brasileiro na competição.

Aos 23 minutos, a seleção teve mais uma boa chance. Pedrinho aproveitou uma sobra na área e mandou uma bomba, que desviou na defesa e foi para fora. E o terceiro só não veio, aos 33, porque o arqueiro irlandês fez grande defesa após finalização de Guga.

O Brasil jogou nesta quarta-feira com: Ivan; Emerson (Guga), Lyanco, Murilo e Iago; Douglas Luiz, Matheus Henrique (Lucas Fernandes) e Pedrinho; Paulinho (Mateus Vital), Antony (Wendel) e Matheus Cunha.