PF deve convocar 1.200 aprovados em concurso

PF deve convocar 1.200 aprovados em concurso

Tania Prado  - Diretora da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF SP). Tania entrou na PF em 2003, em Foz do Iguaçu (PR). Trabalhou nas áreas de polícia fazendária, repressão ao tráfico de drogas, corregedoria e combate à pedopornografia.
Tania Prado - Diretora da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF SP). Tania entrou na PF em 2003, em Foz do Iguaçu (PR). Trabalhou nas áreas de polícia fazendária, repressão ao tráfico de drogas, corregedoria e combate à pedopornografia.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou que a Polícia Federal deve convocar 1.200 aprovados no concurso de 2018 para minimizar o déficit de funcionários da instituição. Em fala durante a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, na Câmara dos Deputados, em Brasília, o ministro informou que o presidente Jair Bolsonaro deu aval para convocar 600 aprovados ainda este ano e o restante, em 2020. "Já há concordância do presidente da República que nós aproveitemos esse mesmo concurso para chamar 600 este ano e mais 600 no início do próximo ano. Embora exista problema fiscal, é possível focalizar alguns recursos nessas políticas importantes", afirmou o ministro, na última quarta-feira (8).

A presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF SP) e diretora regional da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Tania Prado, acredita que a convocação é o primeiro passo para amenizar a falta de profissionais na PF. "O efetivo da Polícia Federal está muito reduzido, haja vista o déficit que se acumulou ao longo dos anos em que a instituição não foi tratada com a devida prioridade", afirma.

Sobre o investimento com as contratações, a delegada lembra que o retorno para a sociedade é três vezes maior que o investimento inicial. "É importante destacar que cada real investido na PF gera um retorno de 3 reais à sociedade", argumenta.

 

Concurso

O concurso para a PF foi aberto no ano passado para 500 vagas. Deste total, 180 eram para agentes, 150 para delegados, 80 para escrivães, 60 para peritos e 30 para papiloscopista. A distribuição dessas 600 vagas iniciais anunciadas pelo ministro, no entanto, não foi informada pelo governo.

Conforme reportagem veiculada na Folha Dirigida, publicação especializada em concursos, a convocação dos 1.200 aprovados já teria sido assinada pelo ministro Sergio Moro e estaria no Ministério da Economia para análise de orçamento.

Déficit
Com 4.310 cargos vagos, a Polícia Federal tem hoje o menor efetivo desde 2008, segundo dados da instituição.
Esses cargos abrangem 675 delegados, 127 peritos criminais, 2.414 agentes de polícia, 965 escrivães e 129 papiloscopistas.