Mourão diz que 'não vê nenhum problema' em possível indicação de Eduardo

Mourão diz que 'não vê nenhum problema' em possível indicação de Eduardo

Rio

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta segunda-feira, 15, que não vê nenhum problema na possível indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair Bolsonaro, para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Mourão declarou que "decisão a gente não discute, a gente cumpre", mas ao mesmo tempo considerou que o presidente ainda não discutiu a questão com seus principais conselheiros.

"Ele (Eduardo) está dentro daqueles requisitos que a nossa legislação coloca para aqueles que não são da carreira diplomática", disse Mourão, em entrevista concedida a correspondentes internacionais na Confederação Nacional do Comércio (CNC), no Centro do Rio. "É uma decisão do presidente, que obviamente ele ainda não discutiu com a totalidade de seus conselheiros, seus principais conselheiros."

Apesar disso, o vice comentou que não vê "nenhum problema" nessa questão. "É uma decisão do presidente. Ele considera que hoje o deputado Eduardo Bolsonaro seria o melhor representante do governo brasileiro junto ao governo americano. Uma vez que é uma decisão específica dele... Eu sempre digo uma coisa: decisão a gente não discute, a gente cumpre", comentou.

Átila

O vice-presidente admitiu ainda que diminuiu suas declarações públicas e entrevistas após um pedido do presidente Jair Bolsonaro. Mourão disse que considerou o pedido como "uma coisa normal" e defendeu Bolsonaro. "Foi criada uma imagem no resto do mundo como se fosse o Átila, o huno, eleito presidente aqui no Brasil. Não é isso."

"Não temos tido atrito, eu e o presidente. O presidente conversou comigo um tempo atrás, 'pô, diminui um pouco a exposição', uma coisa normal. Eu considero isso uma coisa normal, sem problema nenhum", comentou.

Chamado de "embaixador" por uma jornalista francesa, Mourão foi questionado sobre o motivo de Bolsonaro não conceder entrevistas a correspondentes internacionais, sendo que, segundo ela, a imagem do presidente não é das melhores no exterior. O vice, então, defendeu o presidente.

"Eu vou falar com o presidente para que ele também converse com vocês. Existe uma certa má vontade com a figura do presidente Bolsonaro. Foi criada uma imagem no resto do mundo como se fosse o Átila, o huno, eleito presidente aqui no Brasil. Não é isso. Ele não é, em absoluto, uma pessoa totalmente fora dos padrões com o que estamos acostumados", afirmou Mourão.

As declarações de Mourão foram dadas em uma entrevista coletiva concedida a correspondentes estrangeiros na Confederação Nacional do Comércio (CNC), no centro do Rio. Antes, o vice participou de um evento na Fundação Getúlio Vargas, na zona sul, que teve o acesso da imprensa vetado.