Em Londres, Bayern atropela Chelsea e fica perto das quartas da Liga dos Campeões

Em Londres, Bayern atropela Chelsea e fica perto das quartas da Liga dos Campeões

Londres

O jogo foi em Londres, mas pareceu ser em Munique. O Bayern ignorou completamente o fato de jogar no estádio do Chelsea e deu uma surra no time inglês nesta terça-feira. Com a vitória por 3 a 0, ficou muito próximo da classificação para as quartas de final da Liga dos Campeões da Europa.

No dia 18 de março, as duas equipes voltarão a ficar frente a frente, desta vez em Munique, e o Chelsea precisará de um milagre para evitar a queda nas oitavas de final: vitória por quatro gols de diferença, ou mesmo três, se o resultado não for 3 a 0. Caso os ingleses devolvam aos alemães o placar do primeiro jogo, haverá a disputa de uma prorrogação e, se for necessário, a decisão por pênaltis.

O Bayern foi superior desde o começo em Stamford Bridge. Atuando com quatro jogadores de ataque (Müller, Gnabry, Coman e Lewandowski), o time de Munique colocou muita velocidade em campo e deixou atordoada a defesa do Chelsea. No primeiro tempo, os visitantes só cometeram um pecado: a falta de pontaria. Foram muitas as finalizações desperdiçadas, entre elas uma cabeçada de Müller, aos 34 minutos, que encontrou o travessão.

O ritmo da partida não mudou depois do intervalo, com o Bayern atacando em velocidade alucinante e o Chelsea incapaz de encontrar uma solução para esse problema. A grande diferença é que os alemães melhoraram a pontaria, para desespero da torcida da casa.

Gnabry, ex-jogador do Arsenal, grande rival do Chelsea, golpeou o adversário duas vezes no intervalo de três minutos, aos cinco e aos oito. Primeiro, o ponta do Bayern recebeu um passe açucarado de Lewandowski e mandou a bola para o gol. O implacável goleador polonês tinha condições de finalizar, mas mostrou que não é egoísta e deu um presente ao parceiro.

Na sequência, Gnabry e Lewandowski aprontaram de novo. Os dois tabelaram em velocidade e o polonês deixou o alemão cara a cara com o goleiro Caballero. Gnabry mandou, então, um chute cruzado que deixou o argentino sem ter o que fazer.

Faltava o gol de Lewandowski, e ele saiu aos 30 minutos. O jovem lateral-esquerdo canadense Davies conseguiu uma excelente arrancada e, quase da linha de fundo, rolou a bola para o polonês empurrá-la para a rede. Foi o 11.º tento do artilheiro da Liga dos Campeões, que tem um a mais do que o norueguês Haaland, sensação do Borussia Dortmund.

Lewandowski atormentou demais os defensores do Chelsea, tanto que Marcos Alonso foi expulso por dar um safanão no polonês. Com um jogador a mais, o Bayern poderia até ter marcado mais gols, mas preferiu diminuir o ritmo, certo de que já conseguiu uma vantagem suficientemente grande para garantir uma jornada bastante tranquila no jogo de volta.