Base militar com soldados dos Estados Unidos é atacada no Iraque

Base militar com soldados dos Estados Unidos é atacada no Iraque

 

Neste domingo (12) a base aérea de Balad, no norte do Iraque, foi alvo de um ataque. O local abriga soldados dos Estados Unidos. Ao menos quatro pessoas ficaram feridas, sendo dois militares. As informações são da agência Reuters.

Segundo comunicado emitido pelas Forças Armadas iraquianas,  oito foguetes foram disparados contra a base. Segundo a agência de notícias, ao menos sete bombas teriam atingido a pista de base. Até o momento não há informações sobre vítimas norte-americanas.

O Brasil entrou no meio da crise dos Estados Unidos com o Irã graças a um pronunciamento do Itamaraty, no qual o governo brasileiro apoiou os norte-americanos. O Brasil recuou, mas o impasse diplomático foi gerado.

O Irã cobrou explicações das autoridades brasileiras sobre a posição do Brasil em relação à recente escalada de tensões entre o Iraque e os Estados Unidos. O Itamaraty, que já se manifestou favoravelmente ao combate do terrorismo, garantiu, por sua vez, que essa conversa com Irã foi cordial.

Segundo o jornal O Globo, a conversa ocorreu no último domingo (5) entre a Chancelaria do Irã e a encarregada de negócios da embaixada brasileira, visto que o embaixador do Brasil naquele país está de férias. A reunião foi convocada depois de o Itamaraty e o presidente irã  indicarem apoio ao ataque dos Estados Unidos que culminou na morte do general iraniano Qassem Soleimani.

O agronegócio acompanha com preocupação os desdobramentos da posição brasileira em relação ao conflito entre Estados Unidos e Irã. O setor é o principal beneficiário das transações comerciais do Brasil com o país do Oriente Médio. O Irã foi o segundo maior importador de milho, o quinto maior comprador de soja e o sexto maior de carne bovina do Brasil em 2019, segundo o Ministério da Economia.

O presidente Jair Bolsonaro assistiu ao pronunciamento de Donald Trump através da Globo News, canal de TV especializado em notícias do grupo Globo, comumente atacado pelo mandatário. Na live, Bolsonaro ficou assistindo ao pronunciamento do norte-americano em silêncio em grande parte do tempo. Em determinado momento pediu a Constituição para um funcionário de seu gabinete.

Enquanto Trump falava, Bolsonaro destacou trechos da Carta Magna, que viria a ler depois. Quando Trump finalizou, o presidente do Brasil virou para a câmera e atacou o ex-presidente Lula. "Muitos acham que o Brasil deve se omitir no tocante aos acontecimentos. Eu só quero dizer uma coisa, o senhor Luis Inácio Lula da Silva enquanto presidente da república ele esteve no Irã e defendeu lá que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20% que seria para fim pacífico", disse antes de afirmar que deseja a paz no mundo.

Diante da escalada da tensão no Oriente Médio, a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil pediu que os norte-americanos que vivem no Brasil tomem medidas adicionais de segurança. A embaixada argumenta que o conflito com o Irã pode causar riscos a quem vive no exterior e recomenda, entre outras coisas, que esses cidadãos tenham cuidado caso precisem visitar algum ponto turístico no Brasil.

Poucos minutos após assumir a autoria dos ataques contra bases dos Estados Unidos no Iraque, o Irã emitiu um alerta: Aliados militares dos norte-americanos podem virar alvos de ataques a qualquer momento.

"Estamos alertando todos os aliados dos americanos, que deram suas bases ao seu exército terrorista, de que qualquer território que seja ponto de partida de atos agressivos contra o Irã será alvo", disse a Guarda Revolucionária do Irã por meio da a agência de notícias oficial iraniana, Irna.