Voluntários dos EUA e Inglaterra ensinam inglês na rede municipal

Voluntários dos EUA e Inglaterra ensinam inglês na rede municipal

  Felipe Lobo Koerick, presidente da Learning Enterprises: Secretaria de Educação e a ONG Americana iniciam 7ª edição do intercâmbio cultural
Felipe Lobo Koerick, presidente da Learning Enterprises: Secretaria de Educação e a ONG Americana iniciam 7ª edição do intercâmbio cultural

De 29 de maio a 1º de julho, oito voluntários dos Estados Unidos, da ONG Learning Enterprises, estarão, pelo sétimo ano consecutivo, possibilitando a mais de 1,2 mil alunos do 6º ao 9º da Rede Municipal de Ensino de Valinhos uma imersão no universo da língua inglesa. Tudo isso graças a parceria entre a Secretaria de Educação e a ONG.

Segundo o presidente da Learning Enterprises, Felipe Lobo Koerick, o objetivo do trabalho é o ensino do inglês para os alunos da rede municipal através do contato direto com jovens americanos e europeus.

“É um intercâmbio cultural importante para os dois lados. Para os jovens voluntários é a oportunidade de uma imersão na cultura brasileira e para os jovens valinhenses, a chance de ter contato direto com esses jovens no idioma inglês”, disse.

Essa imersão também irá envolver os 12 professores de inglês da Rede Municipal, que na segunda-feira (3), participam de uma oficina sobre o programa. “Antes de o programa iniciar, mostramos aos professores de inglês um pouco sobre o trabalho da Learning Enterprises e o quanto isso poderá ajudá-los no dia a dia com seus alunos. Para isso, a oficina com eles é fundamental”, explicou Felipe.

De acordo com a diretora do Departamento Pedagógico da Secretaria de Educação, professora Ana Angélica Júlio, o programa vai atingir 12 Escolas Municipais e alunos do Ensino Fundamental II (6º ao 9º anos). “Este ano abrimos exceção para alunos dos 5º anos de duas escolas, Prefeito Jerônimo Alves Correa e Governador André Franco Montoro, pois os professores fizeram esse pedido”, disse.

No grupo de oito voluntários estarão sete norte-americanos e um britânico. Segundo Felipe, irão realizar um trabalho no formato de aulas, mas divertidas e colaborativas, onde todos participam.

O programa inclui atividades interativas, jogos, músicas, brincadeiras e informações culturais sobre países que falam a língua inglesa. “Não é uma aula convencional. Rola muita energia e muita troca de informação entre eles, mas tudo em inglês”, comentou.

“É um programa diferenciado e muito bem aceito e assimilado por nossos professores e estudantes, pois proporciona um contato direto com a língua inglesa através do trabalho desses jovens voluntários. Um grande exemplo de troca de experiência para nossos jovens”, disse o secretário de Educação, professor Zeno Ruedell. Ao final do programa, os jovens participantes recebem certificado.