Radialistas de Valinhos comemoram o Dia Mundial do Rádio

Radialistas de Valinhos comemoram o Dia Mundial do Rádio

Fernando D’Ávila estima ter 40 anos dedicados ao rádio e Roseli Bernardo iniciou a jornada na Rádio Valinhos FM quando a mesma ainda era Rádio Comunitária em 1997
Fernando D’Ávila estima ter 40 anos dedicados ao rádio e Roseli Bernardo iniciou a jornada na Rádio Valinhos FM quando a mesma ainda era Rádio Comunitária em 1997

Valinhos tem radialistas conhecidos e respeitados pela seriedade e compromisso com a cidade. A Folha de Valinhos homenageia os radialistas compartilhando um pouco da história dessas vozes bem conhecidas dos valinhenses para comemorar o Dia Mundial do Rádio, que é neste sábado, dia 13. A data foi proclamada na Conferência Geral da UNESCO em 2011.

Dunga Santos completou 51 anos de atividades no rádio, desde sonoplasta do Programa Valinhos na Rádio Brasil – que era apresentado pelo seu pai Rubens Ribeiro dos Santos – até a apresentação do programa em 1975 e até hoje com o Programa Destaques.  Dunga passou pelas Rádios: Brasil - Jequitiba/Campinas - Planalto FM/Vinhedo - Rádio Valinhos FM. “Gosto muito de tudo que tem relação com Rádio, pois sou um ouvinte em todos os momentos que tenho disponibilidade. Por ter passado por muitas mudanças, o que ainda mais me encanta é que encontramos na maioria das rádios programação que atende todos os gostos, por isso a credibilidade, o carinho e respeito que o rádio continua merecendo”.

Fernando D’Ávila estima ter 40 anos dedicados ao rádio. Além de gravar os Boletins Informativo na Assessoria de Imprensa, ele se dedicou a Rádio Brasil ao lado do Dunga Santos e a Rádio Valinhos FM. “O Rádio é um veículo de comunicação extraordinário. Gosto da rapidez da informação e da boa música. Você pode estar em casa ou no automóvel e acompanhar o rádio. A minha maior satisfação na Rádio Valinhos é transmitir eleição. A gente sabe que as pessoas estão ouvindo e querem saber quem será o novo prefeito”.

Roseli Bernardo iniciou a jornada na Rádio Valinhos FM quando a mesma ainda era Rádio Comunitária em 1997. Já são 24 anos de histórias e muitas experiências. Para Roseli, a liberdade, a diversidade dos temas e a relação com os ouvintes são fundamentais para cumprir sua missão no rádio. “A liberdade que tenho no programa Revista da Manhã, de poder falar dos mais diversos assuntos, com rapidez e saber que do outro lado estão pessoas atentas, aproveitando as informações que são compartilhadas diariamente. Temos o carinho dos ouvintes e isso não tem dinheiro que pague”.

Vagner Alves falou primeira vez num microfone de uma rádio em 15 de novembro de 1997 e começou a atuar em 1998 com um quadro fixo no Programa Brasil de Todos nós, apresentado pelo radialista Edson Cabral. Desde então, ele nunca mais parou. São 24 anos dedicados ao rádio. “Gosto do imediatismo, da rapidez com que o rádio chega até os ouvintes e também por ser muito democrático financeiramente, pois um receptor super moderno e um acanhado tem a mesma funcionalidade até chegar aos ouvintes”, conta.

+ Fotos: