Brasil terá 43 milhões de idosos até 2031

Brasil terá 43 milhões de idosos até 2031

O Ministério da Saúde estima que em 2031 a população brasileira terá 43 milhões de idosos. Atualmente os idosos compõem um grupo com 28 milhões de pessoas. O crescimento do número de idosos é significativo com o passar dos anos.

Em 1960, no Brasil, existiam 3 milhões de idosos. Na década seguinte, em 1975, o registro era de 7 milhões de idosos. Esse número saltou para 14 milhões em 2002 e 25,4 milhões em 2012, “Não só no Brasil, mas no mundo todo vem se observando essa tendência de envelhecimento da população nos últimos anos. Ela decorre tanto do aumento da expectativa de vida pela melhoria nas condições de saúde quanto pela questão da taxa de fecundidade, pois o número médio de filhos por mulher vem caindo. Esse é um fenômeno mundial, não só no Brasil. Aqui demorou até mais que no resto do mundo para acontecer”, explica a gerente da PNAD Contínua, Maria Lúcia Vieira.

Especialistas afirmam que antigamente chegar à velhice era um privilégio para poucos, principalmente diante das limitações impostas pela qualidade de vida que muitas vezes impossibilitava um acompanhamento adequado da saúde dos idosos. Com o passar dos anos, o avanço da medicina e as novas descobertas permitiram o envelhecimento com maior qualidade de vida.

Viver mais e melhor tem sido o lema nos dias atuais e, por isso, é possível envelhecer bem. É cada vez mais comum encontrar pessoas acima dos 60 anos ativas e independentes, trabalhando, estudando e se exercitando. Por terem maior autonomia e liberdade, os idosos também estão expostos aos riscos do cotidiano como, por exemplo, a pandemia do Coronavírus. Os idosos se tornaram vulneráveis.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, mais brasileiros tiveram que se dedicar ao cuidado com os parentes idosos em 2019. O número de familiares que se dedicavam a cuidados de indivíduos de 60 anos ou mais saltou de 3,7 milhões em 2016 para 5,1 milhões em 2019.

De acordo com Alessandra Scalioni Brito, analista do IBGE, os dados comprovam o envelhecimento da população. “Esses dados podem significar que menos pessoas estão tendo filhos, estão tendo filhos mais tarde ou têm maior acesso a creches. Também pode sinalizar o envelhecimento da população”, explica.

As informações são do suplemento Outras Formas de Trabalho, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD-C 2019), que levantou dados sobre cuidados de pessoas (crianças, idosos, enfermos ou pessoas com necessidades especiais), afazeres domésticos, produção para o próprio consumo e trabalho voluntário. 

10 hábitos que aumentam a longevidade
Fonte: Viva Bem

1- Pare de comer antes de ficar ‘cheio’

2- Tenha uma vida social ativa

3- Seja mais otimista

4- Deixe de fumar (ou nunca comece se ainda for possível)

5- Beba café moderadamente

6- Não se esqueça da vacina

7- Viva com propósito

8- Mantenha os músculos ativos

9- Controle o estresse

10- Invista em alimentação saudável