Tarifa de ônibus em Valinhos tem novo valor a partir de sexta-feira

Tarifa de ônibus em Valinhos tem novo valor a partir de sexta-feira

A tarifa de transporte coletivo urbano em Valinhos terá novo valor a partir de 0h da sexta-feira, dia 1º de março: R$ 4,70.
O valor foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Municipal de Transporte Coletivo da cidade no começo da semana. O reajuste anual é previsto em contrato para o mês de fevereiro.

A nova tarifa foi definida depois que o prefeito Orestes Previtale vetou o pedido da empresa, que pretendia fixar o valor da passagem em R$ 5,25. “Não faz o menor sentido você conversar com um número desses sobre a mesa (R$ 5,25)”, disse o prefeito.

Na sequência, a empresa apresentou cálculo para alterar o valor para R$ 4,90, mas dessa vez o veto partiu do próprio Conselho. “Mesmo se o Conselho tivesse aprovado, eu ia vetar os R$ 4,90 por entender que o valor está fora da realidade”, disse Orestes.

Entre as justificativas dos membros do Conselho para aprovação da nova tarifa de R$ 4,70 está o investimento da empresa Sou Valinhos, que opera o sistema, na renovação completa da frota de ônibus na cidade.
Os veículos são novos e possuem ar-condicionado, internet sem fio gratuita, acessibilidade e monitoramento por câmeras, entre outros benefícios. “Temos uma das mais modernas frotas de transporte urbano do País”, disse o secretário de Mobilidade Urbana, Mauro Haddad Andrino.

Segundo Andrino, um dos principais reflexos dessa modernização da frota é o baixíssimo índice de reclamações sobre o transporte em Valinhos. “Além da frota nova o sistema tem vários aspectos positivos, como a pontualidade, o sistema de integração (que permite ao usuário pegar dois ônibus pelo preço de uma única passagem dentro de um período de 90 minutos) e a ampla cobertura oferecida pelas linhas que estão em serviço”, disse o secretário.

A Prefeitura de Valinhos não paga subsídio para o transporte público, como acontece em outros municípios da região. Em Campinas, por exemplo, a Prefeitura repassa cerca de R$ 6 milhões por mês para as empresas que operam o sistema de ônibus. Sem isso, o valor da passagem paga pelos usuários seria maior.

 

Da redação