SP amplia público e prorroga vacinação contra a gripe

SP amplia público e prorroga vacinação contra a gripe

Da Redação 

Campanha segue até o dia 23 de junho em todo o Estado; pessoas na faixa etária de 55 a 59 anos também poderão se vacinar
Campanha segue até o dia 23 de junho em todo o Estado; pessoas na faixa etária de 55 a 59 anos também poderão se vacinar

Da Redação

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo decidiu prorrogar a campanha de vacinação contra a gripe até o próximo dia 23 de junho. A medida, válida desde a última segunda-feira, 12, determina que também poderão ser vacinadas as pessoas com idade entre 55 e 59 anos, além dos grupos prioritários e específicos definidos na campanha de 2017. Balanço preliminar da pasta, baseado nos dados informados pelos municípios paulistas, aponta que o Estado vacinou 10,04 milhões de pessoas.

A pasta mantém o alerta para que gestantes compareçam aos postos de vacinação, pois a cobertura vacinal desse grupo atingiu apenas 56% até o momento. Foram aplicadas 262.654 doses. O segundo grupo com menor cobertura é de crianças, com apenas 58,8% do público imunizado, um total de 1.493.507 doses aplicadas. A pasta alerta para os pais ou responsáveis levarem as crianças aos postos de vacinação. A cobertura vacinal dos demais grupos está próxima da meta. Entre as puérperas (mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias), a cobertura é de 85%; em idosos, de 86,8%.

O objetivo da campanha é imunizar bebês a partir dos seis meses e crianças menores de cinco anos de idade, idosos a partir dos 60 anos, gestantes, puérperas, indígenas, profissionais de saúde que trabalham em serviços públicos e privados, professores das redes pública e privada, além dos grupos específicos contemplados com as ampliações definidas pelo Governo do Estado na campanha de 2017.

Neste ano, a vacina está disponível também para policiais civis e militares, bombeiros e profissionais que atuam na Defesa Civil, Correios, Poupatempo, MPE (Ministério Público Estadual), PGE (Procuradoria Geral do Estado) e Defensoria Pública. O Instituto Butantan, unidade ligada à Secretaria da Saúde e responsável pela produção da vacina, disponibilizou 600 mil doses extras para vacinação desses novos grupos, que atuam diretamente em contato com a população.

“A ampliação para este novo público foi definida devido à maior probabilidade de desenvolvimento de doenças crônicas em pessoas nessa faixa etária. A vacina continua disponível para todos que se enquadram nos grupos previstos na campanha e nosso alerta principal é para  amado especial para os pais ou responsáveis levarem as crianças aos postos, pois esse grupo ainda apresenta a menor cobertura”, afirmou Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria.

Além de imunizar a população contra a gripe A H1N1, tipo que se disseminou pelo mundo na pandemia de 2009, as doses protegem a população contra os vírus A/Hong Kong (H3N2) e B/Brisbane. A vacina foi produzida pelo Instituto Butantan, órgão ligado à pasta, através de um processo de transferência de tecnologia.