Campinas sedia encontro para discutir ampliação dos voos regionais da Azul

Campinas sedia encontro para discutir ampliação dos voos regionais da Azul

Carlos Bassan

O prefeito de Campinas e presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, liderou na tarde desta quarta-feira, 8 de agosto, reunião de prefeitos com a Azul sobre a ampliação da malha aérea da companhia. Foram discutidas eventuais novas rotas para localidades com interesse em sediar voos da companhia. No encontro, Jonas Donizette defendeu Campinas como hub de integração de voos regionais para esses municípios a partir do Aeroporto de Viracopos.

“As prefeituras que atenderam a esse chamado são de médio porte, de municípios entre 300 e 500 mil habitantes, e os prefeitos estão cumprindo um grande papel buscando essa alternativa de levar voos para suas cidades. Isso é muito bom para o crescimento da nossa cidade e também dos municípios interessados”, disse Jonas Donizette.

Para o evento, foram convidados prefeitos de diferentes Estados brasileiros. Participaram prefeitos e secretários de todas as regiões do país: Norte, Nordeste, Sul, com maioria do Sudeste. Estiveram presentes municípios filiados e não filiados à FNP..

O prefeito de Campinas e presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) ressaltou que a reunião foi articulada com o objetivo de facilitar o diálogo entre os prefeitos, a Azul, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e Infraero, após a companhia anunciar a ampliação da sua malha aérea. Participou do encontro o presidente do comitê executivo da Azul, José Mário Caprioli dos Santos.

“Essa reunião tem uma programação gradual. Para que a Azul realize esses voos, existem exigências e condições que precisam ser atendidas. Os prefeitos estão aqui para saber o que precisam fazer para poderem ser um ponto de ligação de Campinas com a cidade respectiva de cada um. A velocidade que isso vai acontecer depende desse entendimento”, explicou o prefeito de Campinas.

O presidente do comitê executivo da Azul disse que o forte da companhia é sua capilaridade e que “municípios menores que às vezes estão fora do radar da nossa competição são justamente o nosso interesse”. Ele afirmou que “a companhia tem interesse em voar em cidades que ninguém até hoje tinha imaginado que poderiam receber um voo comercial”.

Mário Caprioli explicou que “a companhia Azul tem todo interesse de começar o tão logo possível, mas depende muito mais das condições de certificação absoluta dos aeródromos para que as operações comecem”.

A Azul é a maior companhia aérea do Brasil em números de cidades atendidas, com 780 voos diários e 107 destinos, 100 domésticos e sete internacionais.

 

Da redação