Campinas: Juventude Conectada e Amor em Movimento distribuem abraços no Centro

Campinas: Juventude Conectada e Amor em Movimento distribuem abraços no Centro

Carlos Bassan

Abraços apertados, abraços tímidos, abraços calorosos, longos ou rápidos. O que não faltou na Maratona do Abraço nesta quinta-feira, dia 9 de agosto, foram braços abertos para acolhimentos de todos os tipos. O evento realizado pela entidade Amor em Movimento em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (SMASDH) reuniu cerca de 30 pessoas no Largo das Andorinhas, Praça Carlos Gomes e praça da igreja do Carmo.

Além de espalhar alegria e boas energias, a ação foi uma forma de celebrar o Dia Municipal da Cultura de Paz, comemorado nesta quinta-feira, em Campinas. Participaram os bolsistas do Juventude Conectada, programa de bolsas da Coordenadoria de Políticas para a Juventude voltado a pessoas de 15 a 29 anos.

Sentado na Praça Carlos Gomes, o cozinheiro Cícero Marcos de Souza ficou surpreso quando viu o grupo do Juventude Conectada com os cartazes de “abraço grátis”. Elogiou os meninos e meninas pela iniciativa e ganhou um abraço coletivo da turma. “É maravilhoso. A última vez que vi algo do tipo foi em São Paulo. As pessoas estão muito distantes, a gente fala um ‘bom dia’ e estranham. Precisamos de ações assim que aproximam todo o mundo”, contou.

Reações como a de Cícero é que tornaram a maratona um sucesso para o coordenador de Políticas Públicas para a Juventude, Felipe Gonçalves. “Muitas pessoas estavam dispostas a receber o abraço dos nossos jovens e dos voluntários do Amor em Movimento. É uma troca de energias muito boa e tem tudo a ver com o Dia Municipal de Cultura de Paz. Por meio de ações como a de hoje, construímos a paz no nosso dia a dia”, afirmou. A data foi incluída no Calendário Oficial do Município por meio da Lei Nº 14.452 de 2012 e orienta a realização de atividades nos espaços públicos promovendo a cultura de paz.

O bolsista do Juventude Conectada, Naildson da Silva, nunca tinha participado de um evento como esse e frisou que a ação é uma forma de aproximar as pessoas. “Em nosso cotidiano há muita turbulência e isso ajuda a dar mais ânimo para as pessoas”, contou. Para o jovem Davi Araújo, a experiência também traz alegria para quem está oferecendo o abraço. “Para mim é superdivertido. Você ver outras pessoas sorrirem e felizes é muito gratificante”.

A bolsista Beatriz Santos de Oliveira também ressaltou os benefícios do abraço. “É uma troca de energias que eu nunca tinha sentido antes. As pessoas abrem um sorriso pra você. A gente só está aqui parado e perguntando ‘oi, você aceita um abraço?’. E elas já vem com amor”. A jovem enfatizou que as pessoas comentam como o abraço muda o dia delas. “É sensacional, algumas correm pra abraçar a gente, isso é muito lindo”.

A experiência de realizar o evento com tantas pessoas, incluindo tantos jovens juntos, foi inédita, considerando também ser a primeira vez dos “abraçados” em uma maratona, contou a interlocutora Nacional para Maratona do Abraço da entidade Amor em Movimento, Shirley Vivaldini. “A adesão da juventude à iniciativa foi muito válida para o Movimento. Por meio desses abraços podemos transformar a mente das pessoas. O abraço traz benefícios físicos, melhora a endorfina e a autoestima”, contou.

A visão de Shirley é corroborada por quem recebeu o abraço em sua passagem pelo centro. Para o mágico profissional Celso Skarlone, por exemplo, o abraço é um intercâmbio muito bom. “É muito agradável receber um abraço. As pessoas não se tocam mais e tem até muitos pais que não abraçam seus filhos. Esse contato faz muito bem e é muito prazeroso”. Já a vendedora Angélica Elizario também cruzou com os voluntários no Largo das Andorinhas. Além de abraçar os participantes da ação, pediu para um grupo de jovens gravarem um vídeo para sua rede social. “É muito legal essa ideia. Eu só tinha visto algo parecido na internet”, disse.

O intuito do programa Juventude Conectada é promover a inclusão social, formação e atuação comunitária dos bolsistas a partir da cultura digital. Os jovens recebem uma bolsa-auxílio, realizam atividades nos telecentros do município e participam de ações de formação pessoal e profissional.

 

Da redacão