108 anos de Adoniran Barbosa 

108 anos de Adoniran Barbosa 

Imagem da Internet

Na próxima segunda-feira, 06, um dos grandes compositores valinhense completaria 108 anos. João Rubinato, mais conhecido como Adoniran Barbosa, ficou conhecido nacionalmente como o pai do samba paulista.
Filho dos imigrantes Fernando Rubinato e Emma Rubita Riccini, o compositor nasceu no dia 6 de agosto de 1910 em Valinhos. Decidiu sair do município e foi moral Jundiaí, depois Santo André e finalmente em chegou a São Paulo em 1928. 
Antes de se tornar conhecido na música brasileira, Adoniran teve várias profissões como: entregador de marmita, varredor de fábrica, pintor de parede, carregador de malas, metalúrgico, tecelão, mascate, garçom e tantas outras. 
Em 1935, João Rubinato adotou seu nome artístico de Adoniran Barbosa. Adoniran de um amigo que trabalha nos Correios e Barbosa do grande sambista Luiz Barbosa. 
No dia 23 de novembro de 1982 aos 72 anos, Adoniran veio a falecer, ele estava internado no Hospital São Luís em São Paulo tratando um enfisema pulmonar. Foi sepultado no Cemitério da Paz, conforme seu desejo.

CARREIRA 

1933 participou do Programa de Calouros na rádio Cruzeiro do Sul 
1934 compôs a marcha “Dona Boa” para o carnaval 
1935 gravou o primeiro disco na Colúmbia (depois Continental e hoje Wagner Music) 
1936 lançou o “O Samba Agora Pode Chorar” com seu parceiro José Nicolini 
1941 é convidado para atuar na Rádio Record, onde trabalhou por mais de trinta anos como ator cômico, discotecário e locutor. 
1955 compõe o primeiro sucesso, "Saudosa Maloca" (1951), gravado pelo conjunto Demônios da Garoa. Em seguida lança outras músicas, como "Samba do Arnesto" (1953), "Abrigo de Vagabundo" (1959) e a famosa "Trem das Onze" (1964).
1980 foi gravado por Elis Regina uma de suas últimas composições foi "Tiro ao Álvaro".

 

Da Redação